Edição Especial LAPHIS-Tfes 2017



Danieli Ramos dos Santos 

Resumo: O presente trabalho visa demonstrar como se deu a prática de estágio supervisionado como requisito para conclusão do curso de licenciatura em História da Universidade Estadual do Paraná (Campus União da Vitória). Tem como principal objetivo demonstrar como se deu o aprendizado d@s alun@s ao decorrer das aulas referente à temática Primeira Guerra Mundial, foca-se especificamente no movimento artístico cultural intitulado como Expressionismo Alemão. Este nascido em meados de 1920 que demonstrava a partir de manifestações culturais o sentimentalismo alemão pós Primeira Guerra, movimento principalmente voltado ao cinema que no filme Nosferatu – Eine Symphonie des Grauens (1922) destaca a importância da representação e da simbologia do vampiro dentro do estudo da história. Também visado a importância da vinculação dessa temática com a vida pratica d@s estudantes, referenciando influências do Expressionismo ate nos dias de hoje e principalmente destacando a importância da estética do movimento gótico como permanência da representação do movimento.
Palavras Chaves : Vampiro; Expressionismo Alemão; Primeira Guerra Mundial.

Eliane Luczkiewicz da Silva

Resumo: Neste presente artigo escrevo sobre o universo das relações de ensino e os problemas presentes entre alunos e professores dentro do meio escolar, e o que podemos fazer para mudar essa realidade. Destaco ainda sobre a importância do uso do cinema em sala de aula. Além dos assuntos acima relato minha experiência de estágio e como essa prática maravilhosa influenciou em minha vida.
Palavras Chaves: Escola, Ensino e Aprendizado.

Felipe Rosenthal Rabelo 

Resumo: O objetivo deste TFES (Trabalho Final de Estágio Supervisionado) do curso de História é descrever a experiência de estágio realizado na Escola Estadual Neusa Domit localizada no munícipio de União da Vitória/PR. O racismo foi o tema escolhido para ser abordado no estágio sendo aplicado através do método da Aula Oficina de Isabel Barca, simultâneo a este processo, também levamos em consideração a ideia de Jaime Pinsky e Carla Bassanezi Pinsky que nos revelam a importância do estudante se perceber como sujeito histórico, bem como os princípios de aprendizagem do psicólogo Carl. R. Rogers.
Palavras Chave: Educação; racismo; teoria e metodologia da história.

Janaíne de Kássia Dias

Resumo: A finalidade deste TFES (Trabalho Final de Estágio Supervisionado) do curso de História é descrever a experiência de estágio realizada na Escola de Educação Básica Professor Germano Wagenführ, localizada no município de Porto União /SC. O tema proposto para os estágios foi Escravidão no Brasil, tendo como objetivo levar os alunos a observarem e compreenderem as consequências tidas por conta da escravidão na vida dos indivíduos e na própria sociedade, bem como as modificações e as permanências ocorridas durante os anos. Fernando Seffner, Jörn Rusen, Isabel Barca, são os teóricos que utilizo como base para pensar tanto sobre a importância de se trabalhar com o uso de fontes durante as aulas de História para se ter uma aprendizagem eficaz durante o processo de construção do saber histórico de nossos alunos, como também sobre a questão do desenvolvimento da consciência histórica.
Palavras-chave: : Consciência Histórica; Escravidão; Ensino de História; Uso de Fontes. 

Jean Marcos Bonatto 

Resumo: O objetivo desse artigo é fazer uma análise entre a teoria e a prática de ensino utilizando-se de três aspectos importantes da Revolução Francesa. Primeiramente a Política, pois, é inerente ao tema analisado. As perspectivas de gênero, que são recorrentes nos estudos, sobretudo da Revolução Francesa. E o conceito de Revolução, que se fazem necessários para que os alunos compreendam o cenário sócio-político da época.
Palavras-Chave: Ensino de História, Revolução Francesa, Política, Gênero.

Leanderson Cristiano Voznei 

Resumo: O Haiti possui uma belíssima história, porém, nem ele e tampouco sua história, recebem ainda a devida atenção por parte dos pesquisadores. Este fato traz legitimidade a sua investigação e promove a necessidade de abordar sua temática em sala de aula, tendo em vista não só sua contribuição histórica, mas, também a importância de conhecer os fatores culturais e/ou sociais que apresentam as discrepâncias ou semelhanças entre brasileiros e haitianos. Estes últimos encontram-se em processo migratório ao Brasil desde o ano de 2010 e, dada a particularidade deste público, bem como a escassez de fontes que possibilitem este trabalho, nos deparamos com a necessidade de conhecer e suscitar novas formas metodológicas para verificação ou captura destes fatos históricos. Desta premissa surge a história oral, nascida no berço dos “Annales” na primeira metade do século XX na França e desembarcada no Brasil na década de 1950, de lá para cá, esta metodologia vem servindo de amparo a pesquisas, que muitas vezes, por falta de fontes escritas não ganhavam atenção por parte dos pesquisadores.
Palavras-chave: Haiti, Revolução Francesa, História Oral.

Morgana Lourenço

Resumo: Pensar em educação é sempre algo importante ainda mais quando estamos tratando de questões relacionadas ao modo como avaliamos nossos alunos, além disso é importante verificar o modo como esses alunos estão aprendendo. Portanto este trabalho tem como objetivo principal analisar a importância dos professores utilizarem em sala de aula diversos instrumentos avaliativos para que desenvolvam as competências cognitivas dos alunos e assim obtenham um aprendizado significativo. Do mesmo modo também discutimos algumas formas de tornar as aulas de História mais significativas para um melhor aprendizado em sala de aula.
Palavras-chave: Aprendizagem; Competências; Ensino de História; Instrumentos Avaliativos.

Neidi Natalia Skakum

Resumo: Trabalho final de estágio supervisionado traz os resultados obtidos do estágio que apliquei na Escola de Educação Básica Antônio Gonzaga na disciplina de História, na qual propus visar as diferentes maneiras e aprendizado que os alunos possuem, valorizando principalmente o diálogo e debate entre professor e aluno, fazendo com que o aluno participe ativamente da aula, no qual possa trazer seus conhecimentos para a aula e assim tornar o aprendizado mais amplo.
Palavras-chaves: diálogo, aula expositiva, leitura, atividades diversificadas.

Taciane Fernanda Silva 

Resumo: O objetivo deste TFES (Trabalho Final de Estágio Supervisionado) do curso de História é descrever a experiência de estágio realizado no Colégio Estadual Novo Milênio localizado no munícipio de Bituruna/PR. Revolução Industrial e Revolução Francesa foram os temas propostos para serem abordados no estágio, tendo como objetivo contextualizar a realidade dos alunos e alunas com esses processos que determinaram mudanças nas estruturas do trabalho e da vida em sociedade. Paulo Freire, Fernando Seffner, Circe Maria Fernandes Bittencort, Selva Guimarães Fonseca, Antonia Osima Lopes e Isabel Barca, são os teóricos que serviram de base para minha reflexão sobre o ensino, teoria e metodologia na sala de aula superando o tradicional. 
Palavras Chave: Revolução; Ensino de História; Teoria e metodologia.

Tamires Nepomoceno Franco 

Resumo: O Trabalho Final de Estágio Supervisionado (TFES) tem como objetivo relatar a experiência de estágio realizado no Colégio Estadual São Mateus no segundo ano do ensino médio. Abordando a escravidão durante as aulas, o intuito central foi relacionar a situação da população negra atual do nosso país com a grande catástrofe histórica. O texto fundamenta-se em relatar o referencial teórico que proporcionou a base para o desenvolvimento das aulas, o relato de experiência e os resultados obtidos através da análise da narrativa dos estudantes.
Palavras Chave: Ensino de História, Escravidão, Metodologia.

Thays Bieberbach 

Resumo: Vivemos um momento político muito conturbado no Brasil. Os direitos conquistados em décadas de lutas estão sendo retirados da população sob o discurso da democracia, justiça e melhorias. Este trabalho resgata a resistência que esquerda fez durante a ditadura militar brasileira e como foi trabalhar essa temática em sala de aula com estudantes do 9º ano do ensino fundamental e 1º ano do ensino médio. Compreender que resistir a regimes totalitários é importante e que essa resistência começa na sala de aula quando o estudante tem a possibilidade de questionar e refletir.
Palavras chaves: Ditadura; Esquerda, Política, Escola