Edição Sobre Ontens 2016/2


REVISTA ELETRÔNICA DE HISTÓRIA
____________________________________________

CONFIRA OS TEXTOS 2016/2:
____________________________________________


Nicolle Taner de Lima 

RESUMO: Neste artigo apresentar-se-á uma breve revisão bibliográfica sobre as possibilidades de abordagem pela História do cinema como fonte. Discutindo a inserção de novas fontes para a historiografia, pretendi relacionar algumas das principais causas que suscitaram durante algum tempo a desconfiança do uso desse tipo de fonte, alguns apontamentos sobre o conceito de representação e como é útil para a análise de audiovisuais e acerca de possibilidades para se compreender a narrativa fílmica como documento.
Palavras-Chave: História, Fontes Históricas, Representação, Cinema

Carolyne do Monte De Paula  

Resumo: Refletir sobre as questões de gênero é algo que vai muito além do debate que compreende a relação entre homens e mulheres na sociedade. Refletir sobre gênero é fazer uma reflexão cultural e histórica, pois construções referentes ao feminino diferenciam-se entre as culturas e alteram-se com o passar do tempo. Logo trabalhar com gênero é também eleger um espaço, um tempo e uma cultura. Neste trabalho nos norteamos principalmente pelo aspecto cultural da sociedade tupinambá no que se refere às posições e significações atribuídas à mulher tupinambá. Para isso nos apoiamos em duas principais obras de uma bibliografia especializada nos estudos tupis. Buscando destacar as características e posições da mulher tupinambá nesta cultura.
Palavras- Chave: Gênero; Mulher tupinambá; cultura.

Maria Doralice Nepomuceno Barbosa 
Genilda Pereira Batista Lima 
Max Lanio Martins Pina 

Resumo: O presente artigo pretende despertar nos professores de História o interesse pela pesquisa da história local, como meio de tornar suas aulas mais ricas e significativas para os adolescentes do ensino fundamental. Considera a importância do conhecimento da História para a formação integral do indivíduo e como a história do município (Porangatu) pode contribuir para a formação da consciência e da identidade cultural. Estabelece uma estreita relação do patrimônio histórico cultural com a formação dos grupos sociais e seu desenvolvimento, mostrando que o patrimônio pode ser tomado como fonte primária para a des/construção desse processo histórico, sobretudo quando não há documentos escritos. Por fim, relata uma experiência de estudo da história local, que teve origem na execução do projeto de extensão universitária - Educação Patrimonial: educar para preservar.
Palavras chave: Ensino de História. História local. Patrimônio cultural.

Ivana Karoline Novaes Machado
Itamar Pereira de Aguiar

Resumo: Este artigo pretende analisar os elementos de cultura presente na religiosidade afro, indígena, brasileira em Maracás-Ba e destacar as peculiaridades de sua formação baseada num contexto histórico, econômico e étnico no sertão da Bahia. Para tanto, recorremos ao método etnográfico utilizado por Clifford Geertz (2014) e à categoria de análise “candomblés do sertão”, criada por Itamar Pereira Aguiar (2012). Além disso, fundamentamos nossa discussão nas obras de Eric Hobsbawm editada em (1997), Pierre Bourdier (1998), Ronaldo Senna (1998), Júlio Braga (2005), Josildeth G. Consorte (2009) e Erivaldo F. Neves (2011), dentre outros, principalmente, dos que escreveram sobre Maracás.
Palavras-chave: Candomblés; Afro-indígena; Sertão.

Giovana Maria Carvalho Martins

Resumo: O presente artigo traz reflexões acerca do ensino de História e o exercício docente, levando em consideração que, hoje, os trabalhos neste campo são voltados para a perspectiva da cognição histórica – ou seja, o ensino-aprendizagem de História não pode ser trabalhado da mesma maneira que se trabalham as outras disciplinas. Assim sendo, a famosa “decoreba”, que muitas vezes caracteriza o ensino da disciplina, não é suficiente na realidade das salas de aula da atualidade, mesmo que muitos professores ainda utilizem dela (cf. DIAS, 2007; SCHMIDT, CAINELLI, 2004). Para que haja uma aprendizagem significativa, é necessário ter em mente que o aluno não é tábula rasa, e sim, agente ativo do conhecimento, trazendo para a escola seus conhecimentos prévios que devem ser levados em conta. Abordamos ainda o cotidiano em sala de aula (RODRIGUES, 2007), bem como aspectos da psicologia da criança e do adolescente (MATHEUS, 2002) e os desafios do fazer-se professor (PAIM, 2006), que são aspectos que permeiam o ensino e a aprendizagem de História.
Palavras-chave: Educação Histórica; Exercício Docente; Sala de aula

Marcondes Silva da Rocha  

Resumo: Este estudo pretende fazer uma reflexão ao longo do processo histórico sobre o índio brasileiro inserido no sistema colonial implantado no Brasil Colônia do século XVI. Nesse sentido, o referido estudo analisa a ação dos colonizadores e o processo de catequização dos indígenas, procurando apresentar os processos de interação e suas possíveis consequências na vida e na cultura dos povos ameríndios. Para a realização desse estudo se recorrerá a diversos autores, como Filipe Moreau; Darcy Ribeiro; Agostinho Marques; Gilberto Azanha; Virginia Valadão, além de outros teóricos. Portanto, constatou-se que o principal objetivo da catequização indígena era impor o mercantilismo e a fé cristã em detrimento a crença indígena procurando estabelecer a dominação ideológica e, sobretudo, mercadológica.
Palavras-chave:  Índio brasileiro. Colonização. Catequização indígena.

Thalyta Zuchinalli  

Resumo: O presente trabalho reflete sobre a trajetória da escrita da história sob a perspectiva de alguns conceitos e métodos que mudaram ao longo do tempo e, sobretudo, na contemporaneidade, refletindo sobre a influência do modo de produzir determinadas escritas históricas. A maneira de historicizar e de analisar as experiências do sujeito ao longo do tempo foi se modificando e a história pode pensar em ressignificar algumas experiências do passado deslocando-se do presente. Pensando através dessa perspectiva de se  fazer história no tempo presente, as experiências das populações de origem africana foram ponto de partida para ressignificados que ainda precisam ser repensados, ou seja o presente apontou para o passado para reconstrução e ressignificação histórica dessa experiências para o presente e futuro. 
Palavras- chave: História do Tempo Presente- Experiências- Populações de origem africana.

Débora Araújo Fernandes

Resumo:
Este trabalho trata do Ensino de História no Pará durante as primeiras décadas do século XX. É um campo de investigação que aos poucos começa a ser valorizado, pois coloca o ensino da História como centro das preocupações dos intelectuais da área. Sabe-se que durante muito tempo, talvez desde o reconhecimento da história como disciplina no século XIX, os profissionais da área se preocuparam muito mais com a metodologia da pesquisa em História e sobre os pressupostos que fundamentam essa “ciência” do que propriamente com a “didática da História”. Assim, em todas as “correntes históricas” as perguntas que orientaram os historiadores são: o que é história? Quais são seus métodos, procedimentos e fundamentos? Percebe-se, porém, que aos poucos a dicotomia entre ensino e pesquisa foi sendo rompida e os historiadores começaram a se perguntar, para que ensinar História? Este texto se propõe a analisar a trajetória da História como disciplina escolar no Brasil na Primeira República (1888-1930), desvelando papel das instituições oficiais de pesquisa em História, em especial, o Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro (IHGB) e o Instituto Histórico e Geográfico Paraense (IHGP), no direcionamento do ensino da História.
PALAVRAS-CHAVES: ensino de História; historiografia escolar; Primeira República.

João Elter Borges Miranda 
Rodrigo de Mello Ackler 

Resumo:
Antônio Vieira dos Santos nasceu na cidade portuguesa do Porto, em 1784, e faleceu na vila de Morretes, na Província do Paraná, em 1854. Em suas memórias históricas, ele discorre sobre a flora, a fauna, demonstra interesse sobre as diversas culturas dos povos que viviam na região litorânea da província, sobre a vida dos povos indígenas, a dos europeus que ali se instalaram, entre outros temas. A obra apresenta assim diversos dados e informações, tornando-se um documento importante para a história do Paraná. Partindo do pressuposto – definido por Hartog – de que diferentes regimes de historicidade perpassam uma mesma obra, analisaremos as memórias de Vieira dos Santos presentes no Memória histórica, chronologica, topográfica e descritiva da cidade de Paranaguá e seu município (1850/51). À luz da discussão de Certeau sobre a operação historiográfica, objetivamos compreender o conceito de história que orientou a sua escrita da história. Queremos vislumbrar o que Vieira dos Santos compreendia por história; qual era o seu lugar social; qual era o seu objeto de estudo e o período tratado; para quem se dirigia a sua obra e quais eram os seus objetivos ao escrever esse livro.
Palavras-chave: Antônio Vieira dos Santos; Historiografia; Paraná.

Ana Regina Praxedes Fernandes  

Resumo:
A Primeira Guerra Mundial (1914-1918) foi palco de conflitos que estenderam-se das unidades de poder institucionalizadas até o campo das ideias e representações, construídas mediante o diálogo entre a realidade vivida e a realidade pensada. Essas representações não são discursos neutros e nem a verdade única acerca do passado, visto que estão submetidas às intencionalidades da conjuntura em que foram construídas. Também configuram-se como um campo de disputa a partir da seleção do que será falado/lembrado e do que será silenciado/esquecido. No entanto, essas representações são valiosas vias de acesso aos diferentes modos de pensar, sentir e agir no mundo. Neste sentido, os discursos de gênero, sendo estes a construção sociocultural variável das categorias feminino e masculino, deram-se através dos embates entre permanências e rupturas em função de uma nova caracterização dos papéis e posições sociais assumidas por homens e mulheres. Sendo assim, o presente estudo tem como propósito a análise iconográfica e iconológica de representações imagéticas veiculadas em cartões-postais franceses no referido contexto. Objetiva-se compreender a construção social dos discursos de gênero expostas por intermédio da comunicação não-verbal.
Palavras-chave: Cartões-Postais; Representações; Gênero.

Ana Flávia Crispim Lima

Resumo:
Com a queda dos bens produzidos na zona rural no século XV, o mercado interno europeu passou por sérias complicações econômicas. Para evitar gastos com negociações de mercadorias vindas do Oriente, os europeus precisavam procurar rotas alternativas para encontrar o caminho até as Índias. Esta pesquisa reúne algumas reflexões acerca da primeira expedição de Vasco da Gama, durante o reinado do rei Manuel I de Portugal, onde os portugueses chegaram à Calicute em 1498. Especificamente, apresentaremos uma análise do “Diário de Viagem de Vasco da Gama”, que foi escrito por Álvaro Velho que estava a bordo da navegação. Este feito foi importante para Portugal conseguir criar uma nova rota comercial.
Palavras-chave: Expansão Marítima; Vasco da Gama; Álvaro Velho.

Naton Joly Botogoske
Isaias Holowate

Resumo:
Neste artigo, analisamos a estruturação entre o esporte e a sociedade, buscando compreender através de uma reflexão histórico-sociológico as relações e os deslocamentos entre o esporte e a sua disciplinarização na sociedade atual. Partindo do pressuposto que as práticas esportivas possuem uma intrínseca relação com os valores da sociedade em que são produzidas, compreendemos que tais atividades, sejam individuais, ou coletivas, caracterizam-se por uma relação, que produz e reproduz essas práticas culturais, sejam a partir do jogo lúdico ou do esporte profissionalizado. Na pesquisa, apontamos que na sociedade pós moderna, o esporte profissional se tornou cada vez mais, uma ferramenta mercantilizada que promove o estímulo de determinados valores e atua uma ferramenta panóptica de controle do indivíduo, “prendendo-o” na sua posição social.
Palavras-chave: Corpo; Esporte; Mercantilização; Sociedade.

Resenha
Áthyla Caetano


Daniel R. Lima 

A presente pesquisa tem como tema: O campo político: as disputas pela liderança do Partido Republicano Federal no Amazonas em 1910. O objetivo geral que se pretende alcançar com o estudo da presente pesquisa é: compreender as disputas pela liderança do Partido Republicano Federal no Amazonas em 1910, em que se utilizara a perspectiva teórica de campo político de Pierre Bourdieu. Pode-se elencar alguns dos periódicos que consultou-se em nossa pesquisa como: Correio do Purus, Correio do Norte, Diário do Amazonas, A Notícia e Folha do Amazonas (estes com circulação e funcionamento no Amazonas), estes jornais nos ajudam a visualizar a disputas políticas em torno da liderança do Partido Republicano Federal no Amazonas, pois os mesmos, funcionavam como órgãos propagadores de representação de visão social do mundo dos grupos antagônicos. Entende-se que muito há para pesquisar sobre a temática que de forma breve foi apresentada nestas páginas. Onde a leitura e análise crítica das fontes, em especial os jornais que circularam no período em questão, nos permitem compreender as disputas acirradas em torno dos cargos de liderança na política amazonense, e dessa forma, levar ao conhecimento acontecimentos tão importantes da História Política do Amazonas na primeira década do século XX.
PALAVRAS-CHAVE: Partido Republicano Federal no Amazonas. Representação de visão social do mundo. Liderança e disputas. Antonio Bittencourt. Silvério Nery.


Wesley dos Santos Lima 

RESUMO: Este artigo visa discutir algumas concepções que se referem ao processo da globalização no âmbito de uma sociedade pós-moderna, a discussão perpassará a cultura, as tecnologias emergentes e a identidade do sujeito pós-moderno. Desse modo a problematização do conceito de globalização, aldeia global, sociedade líquida e identidade cultural terá um grande foco para compreender as modificações advindas do processo da globalização. Portanto o principal ponto será discutir as relações globalizadas e as transformações que esse evento causou, questionando se é possível manter a identidade cultural nesse mundo globalizado, onde tudo se tornou instantâneo.
Palavras-chaves: Globalização – Cultura – Identidade 


Leanderson Cristiano Voznei

RESUMO: O Haiti conquistou sua independência após quase três séculos de domínio europeu, fruto da união dos escravos, que organizados se revoltaram e deram início a revolta de São Domingos (1791-1804), em plena Revolução Francesa (1789-1799), que instigou o mundo com seus ideais de Igualdade, Liberdade e Fraternidade. A situação do país nunca foi das melhores, mas piorou a partir de 1957 quando teve início a “Dinastia Duvalier”, considerado o pior e mais cruel regime ditatorial do Haiti. Atualmente, já se passaram mais de dois séculos desde sua independência e o país ainda sofre com a miséria, doenças, descaso político e esquecimento mundial e se vê obrigado a sobreviver com as migalhas das elites branca e mulata que se afirmaram no poder após sucessivos golpes de estado.
Palavras-chave: Revolução Francesa, Dinastia, Independência.


Brunemberg da Silva Soares
José Adelson Lopes Peixoto

RESUMO: O objetivo deste trabalho é realiza rum estudo das diferentes visões e concepções imagéticas sobre os Xucuru-Kariri do município de Palmeira dos Índios, analisando a utilização da imagem de um índio “exótico” como atrativo comercial e turístico, ligado diretamente com a fundação da cidade, ou seja, fazendo referência aos índios do “passado”, em contraste com a negação dos índios de hoje, bem como discutir sobre a visão que a população não-indígena tem a respeito dos índios. Ainda, propõe-se fazer um estudo das peças indígenas expostas no Museu Xucuru e da estatuária existente em espaços públicos; como continuidades do imaginário local em relação aos Xucuru-Kariri. Este trabalho será feito a partir de pesquisa de campo, baseada em entrevistas com moradores da cidade e índios Xucuru-Kariri (aldeados e desaldeados), Fundamentada em pressupostos teóricos como os de Laraia, Cancline, Oliveira, Peixoto, Martins, Silva Júnior, Ribeiro, Da Matta, Barros e Silva, que norteiam o percurso teórico e embasam o diálogo com o trabalho de campo sobre a imagem que se tem dos índios pesquisados no município.
Palavras-chaves: Estereótipos. Imagem. Índio.

Kamila Czepula 

Resumo: As reflexões a seguir apresentam de maneira breve o que se entende teoricamente por chinesices, sua origem, sua base temporal-estilística. Diante deste contexto, será discutido a presença desse gênero na ornamentação sacra da Capitania de Minas Gerais, e os elementos que configuram uma chinesice como sendo sínica.

Palavras-chave: Chinesice, Igrejas católicas, Minas Gerais.


Luciana Marino do Nascimento

Resumo: A urbanização e a invenção da cidade moderna exerceram grande fascinação nos literatos, originando novas sociabilidades, pois a urbe tornou-se um espaço intenso, conflituoso e contraditório. Walter Benjamin (1994), ao estudar a modernidade literária de Baudelaire, nos afirma que a cidade emerge nas páginas dos livros, revistas e jornais, ensejando a voga da literatura panorâmica e, dessa forma, as cidades passaram a ser imortalizadas pela pena dos escritores: Charles Baudelaire inventa a Paris do século XIX, Dickens cria a sua Londres e Buenos Aires é escrita por Borges, o Rio de Janeiro é encenado na literatura de Machado de Assis, João do Rio e Lima Barreto e Lisboa é lida e escrita por Julio Cesar Machado, Eça de Queiroz, Cesário Verde, Fialho de Almeida, entre outros. Neste trabalho, pretende-se tecer algumas considerações acerca das representações da cidade de Lisboa na obra de Julio Cesar Machado, A Vida em Lisboa - Romance Contemporâneo, buscando evidenciar o espaço urbano (urbe) a partir de diferentes aspectos, tais como: o cotidiano, o lazer, o advento dos equipamentos modernos e como essas mudanças foram captadas pela literatura.
Palavras-chave: Literatura Portuguesa; século XIX; modernidade; cidade.

Aristides Leo Pardo 

RESUMO: O presente trabalho busca sob o prisma da relação Cinema-História analisar o vínculo existente entre o futebol e a política no Brasil, especialmente no período da Ditadura Militar (1964-1985), relação esta, que teve como ponto alto, a conquista do Tri-Campeonato vencido pela Seleção Brasileira na Copa do Mundo realizada em 1970, no México, na qual ostentava uma geração de grandes jogadores que encantava o mundo com sua forma de jogar. Tendo por base as obras fílmicas “Pra frente Brasil” (1982), de Roberto Farias e “O ano em que meus pais saíram de férias” (2006), de Cao Hamburger, verificamos que embora divergentes nas representações, e separadas por mais de duas décadas, se complementam e retratam o momento vivido no país nos primeiros anos da fase que ficaria conhecida na história como “Anos de Chumbo”, os mais brutais do regime militar, representado pelos generais “Linha Dura” que presidiram a nação, Ernesto Geisel (1907-1996) e Emílio Garrastazu Médici (1905-1985). Apesar do clima de terror, a euforia causada pelo Tri-Campeonato e o “Milagre Econômico”, que forjava um crescimento à custa do endividamento do país, tomava conta da população, incluindo ai, os donos do poder, que capitalizaram enorme popularidade com a conquista do mundial, enquanto famílias eram destruídas pela ação do governo militar que cassava, torturava e matava sem piedade seus opositores e críticos, produzindo assim, feridas até hoje não cicatrizadas, o futebol continuou a representar a força e a identidade do povo brasileiro.
PALAVRAS-CHAVE: Cinema. História. Futebol. Ditadura Militar

Cristiane Brand de Paula Gouveia Pasini 

RESUMO: Considerando a necessidade de a história produzir discussões relevantes para a sociedade a partir das reflexões que faz sobre o passado, o presente texto tem o intuito de levantar questões que dizem respeito ao uso do saber produzido pela historiografia, a fim de produzir inquietações na sociedade, que possam produzir mudanças reais e necessárias. Assim, o tema da história ambiental, aliada à reflexão sobre a construção de uma imagem estereotipada do indígena no Brasil do oitocentos, nos permite compreender a função social da história e sua responsabilidade de promover a desconstrução dessas imagens distorcidas que chegaram até o século XXI.
PALAVRAS-CHAVE: História ambiental; Indígenas; Século XIX.

Gabriel das Chagas Alves Pereira de Souza
Lorena Bordallo da Rocha Ferreira
Luciana Nascimento 

Resumo: As cidades, sejam elas reais ou imaginárias, são constituídas por seus mapas textuais, nos quais estão contidas suas histórias e suas personagens. Esses elementos foram captados pelos mais diversos discursos, dentre eles, o literário. Em relação ao crescimento dessas cidades, a imprensa tornou-se um importante instrumento de difusão da literatura em fins do século XIX/início do século XX, tendo sido a responsável por construir a imagem da nação, conforme os postulados de Benedict Anderson (2008). Naquele cenário, a crônica foi um gênero de grande importância, fruto da modernidade, "filha do jornal", ou seja, uma narrativa urbana por excelência. Dentro desse contexto, este artigo tem por objetivo lançar um olhar acerca da presença da prostituição judaica no Rio de Janeiro da Belle Époque através da análise das crônicas de Francisco Ferreira da Rosa, publicadas no Jornal O Paiz, em 1895-1896, sob o título de A Podridão do Vício. Ademais, o estudo das crônicas de Ferreira da Rosa será articulado aos textos historiográficos sobre o tema, tais como: SOARES (1992); MEDEIROS (1992); ENGEL (1989), o que nos permite desvelar véus que muitas vezes encobriram as polacas. Dessa forma, é possível fazer com que a história de um grupo de "vencidos", usando o termo de BENJAMIM (1985), possa brilhar por instantes, ainda que fugidios.
Palavras-chave: Cidade, crônica, mulher.

Denis Henrique Fiuza 
Rodrigo dos Santos 

Resumo: A América latina colonial foi palco de inúmeras relações sociais diversificadas, que se iniciaram com um choque causado pelo contato entre sociedades nativas e europeia. Essas relações foram conflituosas, de um lado os europeus, com sua ganância por riquezas e poder, entre eles, os religiosos em busca de novas almas, e de outro lado, os povos nativos, com sua cultura, com suas crenças, com sua organização política. Nesse contexto, os colonizadores europeus construíram um sistema de justiça e de punição em suas colônias para controlar e disciplinar a sociedade. O objetivo desse trabalho é analisar alguns aspectos da prática de poder, de justiça e de punição na América Latina colonial, tendo como objeto algumas obras historiográficas que refletiram sobre os poderes locais e a justiça no período colonial no século XVII. Especificamente analisamos duas obras de Antonio Manuel Hespanha (2006; 2001) e duas de Rafael Ruiz (2001; 2010).
Palavras chave: América Latina, Antigo Regime, Justiça, Crime.


Assis Daniel Gomes 

RESUMO: Neste artigo, analisamos os discursos dos poderes públicos juazeirenses forjados para fortalecer e legitimar seus propósitos de intervenção na produção e distribuição de energia elétrica em Juazeiro do Norte entre 1945 e 1961. Para isso, verificamos os conflitos insurgidos entre os interesses públicos e privados na localidade depois da Segunda Guerra Mundial. Com a criação da Companhia Hidroelétrica de São Francisco (CHESF) (1945) se construiu uma expectativa do Cariri cearense ser atingido pela energia produzida por essa empresa e, consequentemente, a terra do Padre Cícero também seria contemplada. Contudo, antes disso, a Prefeitura de Juazeiro do Norte necessitava empreender medidas urgentes para manter a sua empresa elétrica a fim de abastecer seus espaços urbanos de luz e força. Enfim, para os poderes públicos juazeirenses, comprar essa empresa era conectar a imagem de gestão de seus prefeitos e de sua cidade ao signo da modernidade.
PALAVRAS-CHAVE: energia elétrica, modernização, cidade.

João Elter Borges Miranda 

Resumo: O presente trabalho objetiva traçar reflexões a respeito do confronto de narrativas que se formou ao longo da Primeira República no Brasil, entre os intelectuais boêmios e o discurso oficial perpetrado pelo Estado brasileiro. Refletiremos, pois, sobre a intelectualidade boêmia, os espaços de sociabilidade em que viviam e brevemente sobre a sua luta contra o discurso oficial que legitimava as ações governamentais. No início do século XX o centro da vida intelectual e boêmia no Rio são os seus cafés, sempre envolvidos numa rica vida cultural e artística, agitada cotidianamente – para o temor das autoridades oficiais – com muita intelectualidade e boêmia. Os intelectuais boêmios criavam com uma incrível capacidade criativa e artística textos literários, música popular, teatro de revista e carnaval, entre outros, retratando com muita ironia e humor satírico a sociedade brasileira, o governo e qualquer um que opusessem aos seus ideais.
Palavras-chave: Discurso; Intelectuais boêmios; Primeira República.

Luis Fernando Tosta Barbato
Estefany Amorim Viana de Castro
Yasmin Amorim Viana de Castro
Mateus Henriques Patrício

Resumo: O presente artigo traz uma análise do filme Que horas dela volta?, de Anna Muylaert a partir do conceito de cordialidade, proposto pelo historiador Sérgio Buarque de Holanda em seu livro Raízes do Brasil. A partir da análise do filme, temos como objetivo mostrar que o conceito de cordialidade defendido por Holanda, marcante no caráter nacional brasileiro, e que, apesar de aparentemente ser positivo, serve para ocultar uma série de violências, pode ser evidenciado no filme. Desta maneira, a partir da análise conjunta das obras, pretendemos mostrar que a obra de Sérgio Buarque de Holanda ainda se mostra como muito relevante para entendermos os problemas sociais da atualidade.
Palavras-chave: Historiografia brasileira; Cinema Brasileiro; Sociedade Brasileira.

Bruno Sergio Scarpa Monteiro Guedes 

Resumo: O presente artigo busca analisar de que forma o livro didático de História vem se posicionando em relação a história dos negros. Neste sentido procura-se identificar se a abordagem realizada sobre a história da África e da comunidade negra nos livros didáticos de História, colaborou para a desconstrução ou reafirmou o preconceito racial disseminado ao longo da historiografia brasileira. Para esse estudo foi necessária uma revisão bibliográfica de autores que se debruçaram sobre o tema em questão para que se pudesse colocar o referido assunto em discussão.
Palavras-chave: livro didático; história; representatividade dos negros; revisão bibliográfica.

Soeli Regina  Lima
Eloy  Tonon

Resumo: Este trabalho teve como foco de estudo a vila de Canoinhas-SC (1912-1917), buscando compreender a influência dos ataques sofridos, da proximidade dos redutos e do processo de rendição, ocorridos durante a Guerra do Contestado, no desenvolvimento local. O trabalho teve como fontes primárias: Livro de Tombo da Paróquia Santa Cruz de Canoinhas, relatórios militares, correspondências do governo.  Constatou-se que as estratégias de luta e resistência vividas por sertanejos rebelados e por moradores locais, somadas às medidas governamentais e militares, adotadas no processo de rendição, deixaram suas marcas nos aspectos de desenvolvimento econômico e relações socioculturais locais.
Palavras-chave: ataque sertanejo; vila de Canoinhas; rendição.

Bruno Ramos Rodrigues 

Resumo: Este artigo tem por objetivo apresentar reflexões teóricas acerca da História do Tempo Presente, dissertando sobre as suas especificidades, bem como uma discussão pautada no tempo histórico, a partir do conceito de Regime de Historicidade. A problemática apresentada neste escrito utiliza da produção acadêmica de alguns historiadores e historiadores que, de maneira instigante e buscando ampliar a discussão, dissertam sobre o tema proposto, sendo iniciado com as possibilidades desta perspectiva histórica que se aporta em um passado recente e, por segundo momento, um debate sobre as relações com o tempo histórico que influenciaram diretamente no campo científico da história.
Palavras-chave: História do Tempo Presente, Teoria da História, Regime de Historicidade

Luciana do Rocio Ramos 
Jessica Caroline de Oliveira 
Zuleide Maria Matulle   

Resumo: O diálogo entre história e fotografia tem ampliado os campos de pesquisas, possibilitando assim, investigar temas que, em virtude de uma historiografia tradicional, foram ignorados ou pouco abordados pelas ciências sociais e humanas. Nesta acepção, este trabalho objetiva discutir a relação entre história e fotografia a partir dos postais realizados pelo Estúdio Foto Bianchi, os quais, hoje fazem parte do Acervo Casa do Divino, localizado na Casa de Memória, em Ponta Grossa. Através da seleção dos materiais a serem analisados, temos a possibilidade de problematizar e contextualizar os elementos que compõe visualmente suas representações de arranjos familiares, considerando diferentes questões relacionadas à produção fotográfica. Além disso, outro aspecto que está intimamente ligado a estas fotografias é o sentido religioso atribuído à elas. Isso se dá pelo fato de se tratarem de ex-votos, objetos de oferecimento, promessas ou agradecimento por graças concedidas pelo Divino Espírito Santo, conforme podemos observar nos versos das fotografias, onde há registros escritos deixados pelas pessoas como um ato de fé e esperança. Neste sentido, família e religiosidade serão os eixos centrais para pensar as representações presentes nos postais do Foto Bianchi, tendo como recorte temporal o período de 1920 e 1930. 
Palavras-chave: Foto Bianchi; Postais de Família; Religiosidade; Casa do Divino.

Adriana Fraga Vieira  

Resumo: Uma nova forma de ver as águas da cidade emergiu nos discursos oficiais e nas crônicas da impressa na década de 1960. As águas do espaço urbano começaram a incomodar o poder público quando deixa em evidência a fragilidade do serviço na cidade ou quando se opõe a construção de uma cidade idealizada. Este artigo discute como a implantação da água canalizada em Criciúma/SC foi sendo alvo de discursos e práticas em diferentes momentos da história da cidade. Destacam-se as principais intervenções feitas pelo poder público e a luta pela apropriação desse melhoramento entre os diversos agentes sociais, como também a cidade idealizada pelos articulistas da imprensa, elites políticas e econômicas, e as tentativas de viabilização desta cidade sonhada, limpa, saneada e dotada de moderna tecnologia. O artigo também pretendeu dar visibilidade ao relacionamento da população com esses equipamentos, percebendo como é que eles foram historicamente implantados e, assim, revelando diferenças sociais e diversas concepções de cidade.
Palavras-Chave: Melhoramento Urbano. Representações Urbanas. Modernidade.

Marquessuel Dantas de Souza 

Resumo: O presente texto apresenta de forma sucinta um estudo histórico-geográfico sobre Porto da Folha-SE e sobre o sertão no baixo São Francisco em Sergipe. Busca apontar alguns aspectos da época da colonização e do período imperial com o propósito em mostrar a importância de Porto da Folha no contexto histórico e geográfico de Sergipe d’El Rei e do Brasil. Ao traçar ou cruzar as informações de outrora com as mais recentes o texto possibilita uma espécie de contribuição para a história de Sergipe, da sede do município e para a região estudada. Investigar a historiografia e a geografia regional de Porto da Folha-SE dando ênfase a conhecer a cultura do povo local buscando compreender o significado do lugar estudado.
Palavras-chave: Porto da Folha; História; Geografia.

Isaias Holowate 

Resumo: A eugenia foi um movimento científico e social surgido na Inglaterra, na segunda metade do século XIX, que tinha como objetivo o aprimoramento da espécie humana. Contudo, ao ser apropriada por pensadores de diversas regiões do mundo, ela foi ressignificada para atender às demandas locais. No Brasil, os discursos sobre a eugenia estiveram presentes, sendo seus pressupostos empregados objetivando-se explicar o pretenso atraso brasileiro em relação às nações percebidas como mais desenvolvidas. Também na cidade de Ponta Grossa, no Paraná, que nesta época passava por um período agitado política e culturalmente, existiram representações sobre a eugenia, sendo ela utilizada de forma a atender às necessidades de uma burguesia recém-ascendida ao poder. Com o objetivo de estudar a produção de representações sobre a eugenia na sociedade ponta-grossense, o estudo parte dos pressupostos da História das Representações e utiliza como fonte as publicações do jornal local Diário dos Campos, entre os anos de 1910 e 1921. A pesquisa é conduzida por meio de um levantamento dos discursos sobre a eugenia na sociedade ponta-grossense, analisando suas representações e relações com o movimento eugenista nacional e internacional.

Palavras-Chave: Diário dos Campos. Eugenia. História Cultural. Representações.

Gilvana de Fátima Figueiredo Gomes 

Resumo: O artigo investiga um conjunto de textos dedicados a narrar o passado, publicados no periódico paranaense A Divulgação. Trata-se de um corpus documental que, embora não comprometido com os protocolos científicos de pesquisa histórica, interpelava o passado com o fito de estabelecer uma versão verídica dos eventos relatados. A análise proposta opera a partir da noção conceitual de cultura histórica e toma como objeto as interpretações dos eventos pregressos, produzidas e publicadas na revista. A conjuntura do período, as relações do impresso com o movimento paranista, os vínculos institucionais dos responsáveis pelas narrativas históricas, bem como, os temas privilegiados naquelas páginas indicam uma dupla representação do passado: um período de ações grandiosas que deveria servir como orientação para os contemporâneos e um tempo em vias de ser destruído pela marcha do progresso.
Palavras-chave: Cultura histórica; História paranaense; Imprensa e intelectuais; Paranismo.

Elois Alexandre de Paula 

Resumo: Este trabalho faz uma análise histórica de Júlio de Paula, antepassado de nossa família e que teve uma relação direta com o primeiro ciclo da navegação a vapor entre os anos de 1890 e 1910. A sua e a sua História com relação aos vapores era comentado entre a nossa família, práticas da história oral que se seguia de geração a geração. Porém ainda faltavam muitas provas ou evidencias para chegar a uma exatidão desses relatos.  Mas durante os últimos meses de 2016, encontramos importantes fontes que relacionavam Júlio de Paula e a navegação. Antes se comentava que Júlio era um “artífice” responsável pela manutenção ou montagem dos vapores, mas as fontes comprovaram que Júlio de Paula era proprietário de dois vapores que navegavam no Rio Iguaçu, o vapor “Brasil” e o  “Cruzeiro”. As fontes encontradas datadas entre os anos de 1900 e 1910 e deram um novo direcionamento histórico sobre a História de Júlio de Paula. A obra “Vapores” de Arnaldo Bach (2006) também contribuiu para o desenvolvimento desse trabalho.  Este é ainda um trabalho inicial e o primeiro passo na tentativa de reconstruir a trajetória Histórica de Júlio de Paula e a sua relação com os vapores.
Palavras Chave: Júlio de Paula, Navegação, Vapores

Georgiane Garabely Heil Vázquez 

Resumo:  Este artigo tem por objetivo debater acerca  das interconexões possíveis entre a categoria analítica de gênero e o espaço escolar. Neste sentido, a discussão aqui problematizada abarca um debate conceitual sobre  gênero bem como a analise do espaço escolar destacando a educação infantil. Acredita-se que neste primeiro momento da educação formal de crianças existe uma pluralidade de representações e práticas vinculadas a categoria analítica de gênero. Tais representações   acabam por influenciar ou até mesmo moldar parte dos sujeitos que, desde a primeira infância, são induzidos a se comportar desta ou daquela maneira, dependendo dos papéis de gênero que são atribuídos a seus sexos. 
Palavras- Chaves: gênero, criança, escola.

Talita Gonçalves Medeiros  
Dulceli de Lourdes Tonet Estacheski  

RESUMO: Ao propor sexo e gênero como elementos não dissociáveis e que, uma vez formados pela linguagem alcançam o poder de representação, Judith Butler em sua obra ‘Problemas de Gênero: feminismo e subversão da identidade’ de 2003 propõe uma reflexão contundente sobre a categoria de análise Gênero. Alicerçada em uma perspectiva pós estruturalista, a teórica abre um campo de análise e de reflexões inerentes a essa teoria. Da mesma forma, os estudos sobre as relações de poder e de subjetividades permitem uma abordagem cada vez mais ampla de estudos e reflexões sobre essa categoria de análise.  Compreender as interssecionalidades que cruzam esses dois estudos é refletir sobre a importância de seus debates pela academia e como seu poder de alcance pode auxiliar na execução de ações afirmativas de combate a violência contra as mulheres, por exemplo. Assim sendo, o presente artigo possui como objetivo compreender como a teoria de Judith Butler e os estudos de relações de poder e subjetividades podem dialogar e fomentar propostas de combate a violência contra as mulheres. Embasada pelos estudos feministas e pós estruturalistas, a escrita possui como proposta contribuir e ampliar os debates acerca das muitas violências sofridas pelas mulheres.

Palavras chave: pós-estruturalismo, combate à violência contra mulheres, estudos feministas


Morgana Lourenço

Resumo: O tema casamento é um assunto de grande importância na obra de Jane Austen, pois esse era também um assunto importante na sociedade em que ela vivia. O casamento, o amor, e o dinheiro eram coisas que preocupavam as mulheres da sociedade inglesa dos séculos XVIII e XIX. O amor também era algo que se apresentava em alguns romances da época, e que faziam moças em idade de se casar sonhar com ele. O problema é que nem sempre era possível unir essas duas coisas, amor e casamento, pois a condição social em que as mulheres se encontravam acabavam quase por definir o seu futuro fazendo-as se casar apenas para ter uma segurança financeira no futuro.
Palavras-chave: Amor; Casamento; Jane Austen; mulheres.


Nadine Nogara 

Resumo: Temos como objetivo analisar o documento Kama sutra, escrito pelo poeta indiano Mallanaga Vatsyayana, discutindo sobre as concepções que podem ser vistas como idealizações de masculinidade e feminilidade para os homens e mulheres indianos na visão do poeta, justificando que cada cultura tem seus diferentes padrões de comportamentos, tanto individuais como em meio a sociedade. Utilizaremos para isto dos estudos de gênero para evidenciar o ideal do “ser masculino” e do “ser feminina”, descaracterizando o documento de sua ideia ocidental de um manual visual de posições eróticas, expondo o modo comportamental idealizado por Vatsyayana.
Palavras-chave: Relações de gênero; Kama Sutra; Índia; Masculinidades; Feminilidades.

Matheus Mendanha Cruz 
Luis Fernando Cerri 

Resumo: O trabalho a seguir tem por método a revisão bibliográfica e elabora-se sobre os pressupostos da Didática da História, destacando a função da História como orientadora da vida prática, deste modo sendo necessário alcançar o aluno de maneira diversa, dando-lhe a oportunidade de estabelecer-se como sujeito dentro da comunidade em que se encontra. O método aqui sugerido para sair-se do modelo tradicional é o cinema em sala de aula, ou seja, os recursos audiovisuais, deste modo ampliando o leque de leituras críticas que o aluno pode fazer, munindo-o de argumentos plausíveis para fazer suas escolhas dentro da sociedade que o mesmo está inserido.
Palavras-Chave: Consciência Histórica; Ensino de História; Cinema em Sala de Aula; Educação.

Bruno Sergio Scarpa Monteiro Guedes 

Resumo: Neste artigo o debate que será realizado tomará como foco de suas abordagens o ensino de História e a elaboração do currículo de História. Será realizado um balanço historiográfico pelos caminhos percorridos na elaboração do currículo de História, das modificações ocorridas ao longo do século XX, como ocorreu no governo de Vargas, especialmente no chamado Estado Novo (1937-45), e da influência, principalmente da perspectiva da linha francesa, na compreensão da História como campo de estudo.
Palavras-chave: currículo de história; tempo; ensino-aprendizagem; conhecimento.

Evelline Soares Correia 

Resumo: O presente artigo busca apresentar de que forma as Políticas Educacionais no Brasil, referentes ao Ensino Médio, foram se configurando no início da década de 70, até as diferentes possibilidades que este tem-se apresentado hoje. Tendo o Neoliberalismo como ponto determinante em toda esta configuração, pretende-se apresentar um questionamento sobre o papel do Estado na manutenção do Ensino Médio e ainda de que forma a implementação do Programa Jovem Aprendiz consegue atender esta proposta neoliberal.
Palavras-chave: Políticas Educacionais; 3ª Via; Ensino Médio.

João Elter Borges Miranda 

Resumo: O presente trabalho tem como objetivo fazer uma reflexão a respeito do pensamento católico conservador dos anos 20 do século XX no Brasil. Para isso, adentraremos o tema através de uma discussão bibliográfica, percorrendo brevemente a parte da história do catolicismo no Brasil que vai da segunda metade do século XIX ao início do XX, com maior ênfase na década de 1920. Procuraremos tratar dos acontecimentos políticos relevantes na conjuntura nacional para compreender os seus desdobramentos na Igreja e a reação desta. Objetivamos realizar uma sucinta reflexão a respeito das ações tomadas pelo catolicismo frente as transformações gestadas ao longo da Primeira República, se debruçando com maior atenção na década de 1920, e procurando refletir sobre as ações de reaproximação entre as duas esferas de poder, a Igreja e o Estado brasileiro. Acima de tudo, buscamos entender como estabelecia-se e como foi moldado, nesse processo, o pensamento católico. Observamos que ao longo da década de 1920 o pensamento católico aprofundou-se em tradicionalismo e conservadorismo. A partir dessas considerações, buscaremos nas considerações finais sucintamente refletir a respeito das continuidades desse pensamento católico conservador na atualidade.
Palavras-chave: Catolicismo; Conservadorismo; Tradicionalismo.

Elaine Cristine Luz Santos de Moura 

Resumo: O presente trabalho é uma ação dos acadêmicos de História da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) que compõem o Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à docência (PIBID), visando colaborar com o ensino e a aprendizagem dos alunos da Escola Estadual Professor Emydio Campos Widal dos anos 7ºB, 8ºA e B e 9ºA e B do ensino fundamental. Consiste na execução do projeto “Desconstruindo paradigmas: racismo, preconceito e discriminação - uma abordagem histórica”, visando promover a igualdade e diversidade sociocultural, demonstrando as lutas, estratégias e resistências da população negra. Resultaram-se ações de inclusão e reflexão por meio da confecção de cartazes elaborados pelos próprios alunos.
Palavras-chave: Racismo, preconceito, discriminação.